Apague o cigarro de vez!


Apague o cigarro de vez!

O tabagismo é um dos mais difundidos vícios de nossa época, e também um dos mais aceitos pela sociedade. De um lado temos a indústria tabagista investindo milhões em propaganda, associando o fumo à juventude, a gente "descolada", ao poder, à aventura e, pasmem, até aos esportes. De outro, vem surgindo há alguns anos um movimento de cerco aos fumantes, com a proibição do fumo em locais públicos fechados, em vôos e até em algumas empresas, que estabelecem o "fumódromo".

No entanto, a maior conscientização dos males causados pelo cigarro, como pressão alta, distúrbios cardíacos, enfisema, câncer e problemas na gestação, não diminuem a dificuldade em abandonar o vício.

No caso do fumo, a dependência é tanto física quanto psíquica.

O corpo físico passa a necessitar da nicotina e de seu efeito estimulante, assim como o corpo emocional sente dificuldade em se libertar daquela "muleta" que o ajuda a pensar melhor, a driblar a ansiedade, a enganar a fome, e até, em alguns casos, a superar a insegurança.

Trocar o cigarro comum pelo "light", ou partir para o uso de adesivos com nicotina em sua fórmula, nada mais é do que "trocar 6 por ½ dúzia", como diz o ditado popular; é rodear o problema sem buscar uma solução definitiva.

É preciso se conscientizar dos danos causados pelo fumo, tomar a decisão internamente e encarar o problema de frente. Ninguém deve tentar parar de fumar porque o médico, os familiares ou os amigos acham que deve fazer isso – NÃO FUNCIONA!

A DECISÃO DE PARAR DE FUMAR TEM QUE SER INTERNA!

As três ou quatro primeiras semanas são as mais difíceis, mas uma vez ultrapassadas abrem caminho para a libertação total do vício. O organismo se vê livre da dependência física e começa a se desintoxicar. É uma fase de descobertas: o paladar e o olfato ficam mais aguçados e a resistência física aumenta consideravelmente. A auto-estima se eleva com a satisfação de ser capaz de superar o vício e, com isso, a dependência psíquica começa a se desfazer.

Existe a crença de que, ao parar de fumar, a pessoa engorda muito, e muitas pessoas com medo de ganhar peso se apegam ainda mais ao cigarro. É comum um pequeno aumento de peso devido ao despertar dos sentidos e da falta de uma válvula de escape para a ansiedade, mas o que são dois ou três quilos comparados ao que se ganha em qualidade de vida, saúde e bem-estar? Ao abandonar o vício definitivamente, basta fazer uma pequena dieta para eliminar os quilinhos extras, que por acaso tenha ganhado.

INVISTA EM SI PRÓPRIA!

Os florais, com sua atuação direta sobre as emoções, podem ajudá-la a fortalecer a vontade, harmonizar os desequilíbrios físicos e emocionais causados pelo abandono do cigarro, como a ansiedade, a compulsão por comida, a irritabilidade, a insônia, além de acelerar o ritmo da desintoxicação do organismo.

Se você estiver decidida a parar de fumar, não deixe de fazer uso destes maravilhosos remédios florais para minimizar os efeitos nocivos da abstinência e modificar sua maneira de encarar a vida, de forma que você fará cada vez mais opções saudáveis.

FLORAIS DE MINAS INDICADOS:

IMPATIENS: para combater a ansiedade

PSIDIUM: para a compulsão e perda de controle

RUTA: para fortalecer a vontade

NICOCIANA + IPOMEA: para despertar a consciência dos limites do corpo e da alma, e aprender a respeitá-los

FUCHSIA: para a sensação de vazio e ansiedade

MALUS + ARTEMÍSIA: para acelerar a desintoxicação do organismo

LAVÂNDULA: para os que buscam segurança no cigarro

MILLEFOLIUM: para reduzir a suscetibilidade a influências externas

Os florais, embora não apresentem contra-indicações, devem ser indicados por um profissional habilitado para que apresentem melhores resultados.

MEDIDAS AUXILIARES:

- AURICULOTERAPIA

- REIKI

- ATIVIDADE FÍSICA