Candidíase


Candidíase

Milhares de mulheres são acometidas de candidíase vaginal. Umas fazem o tratamento convencional e se livram do problema definitivamente, enquanto outras cumprem o desagradável ritual de comprimidos e cremes vaginais, só para ver o ressurgimento do problema alguns meses depois. É para estas mulheres que escrevi este artigo.

O que se esconde por trás destas infecções repetidas?

O microorganismo causador da candidíase vaginal está presente praticamente o tempo todo no organismo feminino. Então, por que de uma hora para outra resolve atacá-lo?

A queda do sistema imunológico é um dos fatores que desencadeiam o "ataque", mas o que desencadeia por sua vez a baixa do sistema de defesa? Novamente as emoções fazem o papel de vilãs do processo!

A mulher, na maioria das vezes, busca satisfação física, anímica e até espiritual na relação sexual, enquanto o homem centra sua busca no prazer físico. Desta diferença básica surgem alguns conflitos de ordem emocional que acabam se refletindo no físico.

Analisemos o seguinte caso:

O casal está vivendo uma fase em que se encontram afastados um do outro, seguindo vidas paralelas cuja única interseção são os filhos. A troca rica de experiências vividas no dia-a-dia, o diálogo e o lazer estão eclipsados, prevalecendo a rotina esmagadora. Num relacionamento com este pano de fundo, a tendência é o desejo sexual definhar, mas nem sempre é o que acontece.

Muitos homens usam o sexo como válvula de escape para as tensões do dia-a-dia e, sem levar em consideração os anseios físicos e emocionais da parceira, tentam impingir uma freqüência sexual mais intensa do que a desejada por ela. Por sua vez, a mulher aceita este ritmo alheio à sua vontade, seja por medo ou vergonha de dizer não, seja por comodismo ou medo de perder o parceiro. Isto continua acontecendo até que ela desenvolve a candidíase vaginal, então a relação sexual fica dolorida e a sensação de ardência é intensa . Ela agora não pode ter relações sexuais por "motivos que independem de sua vontade".

Vejamos outro caso:

A mulher guarda pequenas mágoas e se irrita com o parceiro por algum tipo de comportamento que ele apresenta durante uma fase da vida. Ela acumula este sentimento de raiva sem se conscientizar dele e, aos poucos, esta raiva se manifesta no corpo físico através de uma irritação no principal canal de troca com o parceiro: a vagina. Se esta irritação não for trazida à luz, conscientizada e transformada, a candidíase vaginal tenderá a se repetir indefinidamente, pois tratam-se os efeitos mas não a causa.

No primeiro caso, faz-se necessário aprender a dizer não e a expor suas necessidades mais claramente, enquanto no segundo é preciso entender o processo de irritação com o parceiro para poder superá-lo. Uma vez superadas estas dificuldades de ordem emocional, qualquer tratamento convencional se torna eficaz no combate à candidíase.

Dicas para vencer a candidíase:

Conscientizar-se dos fatores que podem estar desencadeando o processo.

Autoconhecimento: conhecer a si própria permite posicionar-se melhor perante a vida e, consequentemente, perante o parceiro.

Terapia Floral: florais para mágoa, raiva e submissão ajudam a trabalhar estas emoções e a trazer o equilíbrio necessário para superar o problema.

Fitoterapia: a Equinacea é uma planta utilizada para aumentar a resistência do organismo e pode ser encontrada na forma de chá, cápsulas ou tintura.