O tormento da enxaqueca


O tormento da enxaqueca

A enxaqueca caracteriza-se por um acesso súbito de dor num dos lados da cabeça e pode ser acompanhada de vômito, náusea, intolerância à luz e a ruídos, alterações na pressão sangüínea e falta de apetite. Ela pode durar de algumas horas a alguns dias. Na maioria das vezes, os médicos não conseguem detectar as causas físicas desse mal, pois, normalmente, ele é desencadeado por fatores emocionais.

A enxaqueca atinge preferencialmente as mulheres e envolve emoções diversas: desde a frustração, a raiva, até a fuga de algo que a pessoa não quer realizar, mas se vê obrigada a tal.

A dor da enxaqueca é tanta que impede a pessoa de realizar determinadas tarefas, de cumprir compromissos. Ela simplesmente não pode fazer isso ou aquilo, mas, vejam, não é culpa dela, pois ela está sofrendo muito! Na maioria das vezes, a pessoa é obrigada a tomar uma medicação para dor e se isolar num quarto escuro até os sintomas melhorarem - ela não consegue tolerar a luz, ruído algum, muito menos fazer sexo ou conversar sobre algo importante. O quarto escuro e isolado funciona como um refúgio para as agruras. Ali ela fica, entregue ao sofrimento, sem precisar se valer da autocobrança, do perfeccionismo, sem enfrentar situações que a irritem ou deprimam.

O ser humano pode ser dividido em dois pólos:

- Cabeça x corpo

- Em cima x embaixo

- Homem superior x homem inferior

- Mental x material

- Pensamentos x desejo sexual

- Pensamentos x agressividade

Qualquer uma dessas abordagens implica dois pólos antagônicos e complementares – um não pode existir sem o outro, devendo haver harmonia e integração entre eles.

Se a pessoa tentar reprimir ou resolver os problemas relacionados ao pólo inferior (sexualidade ou agressividade, por exemplo), através do pólo superior (cabeça e pensamentos), ela irá gerar um desequilíbrio que impedirá a integração harmônica entre os dois pólos, impedindo, com isto, o fluxo energético, que poderá "explodir" na forma de crises de enxaqueca.

A saída para vencer a enxaqueca é trilhar o caminho do autoconhecimento, reconhecendo, em si próprio, defeitos e qualidades e identificando a "rota de fuga", que se apresenta na forma de crise de enxaqueca. É preciso encarar de frente o perfeccionismo, a crítica e a autocrítica, a irritabilidade, a impaciência, a ansiedade, a questão sexual, a raiva e a agressividade, para que se possa superá-los.

Também é importante tratar o fígado, pois, segundo a Medicina Tradicional Chinesa, ele é o órgão responsável pela agressividade, pelo mau humor e pela irritabilidade.

Dicas para combater a enxaqueca

- Chá de dente-de leão: É um depurativo e ajuda a "limpar" o fígado. Tome três xícaras por dia, durante um mês.

- Terapia floral: O autoconhecimento, através da terapia floral, apresenta uma grande vantagem, pois os florais, enquanto tratam em profundidade as causas, ajudam aliviar os sintomas.

Florais de minas para enxaqueca:

- VERVANO + CAMELLI + PINUS + SALVIA + FICUS + IIMPATIENS + PSIDIUM + LAVÂNDULA + ZINNIA + PHYLLANTHUS + MOMORDICA.

- Pingue quatro gotas debaixo da língua, quatro vezes ao dia, durante dois meses. Depois, é preciso reavaliar o quadro.

- Os florais, embora não apresentem efeitos colaterais, devem ser indicados por um terapeuta habilitado.

Reiki

O Reiki é uma terapia energética relaxante e capaz de grandes desbloqueios da energia vital.

Se você tiver alguma dúvida ou quiser sugerir um tema, entre em contato por e-mail.